Que tal incluir o SxSW Interactive na sua agenda?

De uma teia de ideias aparentemente desconexas ao resgate da admiração pela humanidade. Minha primeira experiência no South by Southwest foi mais ou menos assim.

588 total views
As seen on
null
8 views
  1. Depois de tanto ouvir comentários elogiosos sobre o South by Southwest, a oportunidade de participar do evento em 2012 foi um presente para minha curiosidade. De longe a gente pensa que talvez seja mais uma modinha geek, mas só estando em Austin você tem a dimensão do baita evento que é o SxSW. E olha que só me inscrevi no Interactive, que a cada ano tem tomado para si o prestígio que o Music construiu ao longo do tempo.
  2. SxSW 2012 - Austin Convention Center
  3. Qual é o hype da vez? Seria a consolidação do Pinterest, ou os apps sociais de localização como Glancee ou o Highlight? Para legitimar o evento muitas pessoas costumam utilizar a seguinte argumentação: "foi lá que o Twitter e o Foursquare apareceram antes de estourar". Mas isso seria bem reducionista para uma experiência que é muito mais complexa e interessante.

    Estou falando de 5 dias intensos com milhares (e isso não é uma hipérbole) de opções de palestras e temas relacionados à tecnologia, conectividade, inovação, comportamento, neurociência, antropologia, psicologia, empreendedorismo, enfim, tudo aquilo que faz sentido na contemporaneidade. Uma ducha de inspirações para qualquer profissional que vive esse cenário de reinvenção da comunicação. É um tremendo exercício de desapego em que você tem que apostar em um dentre vários assuntos que te interessam. Como toda decisão é uma renúncia, viva o espírito lean startup: se der errado, embrace the failure and go ahead.

    E ainda que exista essa miríade de alternativas, tudo é muito organizado. As palestras começam na hora marcada e você tem 30 minutos entre cada uma delas para decidir seu próximo destino (incluíndo aí alimentação e a fugidinha ao banheiro).

    Ao final de cada dia é comum a exaustão mental. No primeiro dia você já tem contato com Don Tapscott (autor de Wikinomics) repensando a civilização para a era social e logo em seguida escolhe qual será o rumo de seu roteiro. Mais foco em branding? Tecnologia? Fomento às startups? Cada um define sua programação de acordo com seu interesse. Não conversei com ninguém que tenha feito um roteiro igual a outra pessoa. Vive-se um delicioso espírito de serendipidade ao longo da jornada. E nos intervalos, muitas conversas e novas ideias que surgem.

    Um evento tão intenso e surpreendente, que me permitiu, sem planejamento prévio, participar das últimas discussões sobre o carro elétrico e no dia seguinte experimentar a direção de um híbrido. E tão conectado que se permitiu incluir de última hora uma palestra sobre Kony 2012 assim que foi anunciado o recorde de visualizações do vídeo.

    Na convergência de comunicação e tecnologia, emergiu a oportuna provocação do Rei Inamoto, Chief Creative Officer da badalada agência AKQA: "Deveriam as agências agir como as startups de tecnologia?"
  4. E nesse ambiente que propicia tantas opiniões em contraponto, o mesmo palestrante que faz uma apresentação brilhante manifesta sua insatisfação com a principal característica do SxSW.
  5. Algo que valeu uma pronta - e atrevida - resposta do meu guru @crisdias no Brainstorm9.
  6. O mais interessante é que Rei Inamoto definiu muito bem a minha sensação. Acompanhando o evento pelo twitter, houve um momento em que minha timeline se confundia com uma lista de search pela hashtag "sxsw". De repente me dei conta de que quase todos os tech sabichudos que eu seguia rotineiramente estavam ali, pertinho de mim, palestrando ou assistindo ao evento. Gente boa como @brainpicker@briansolis, @ericries, @sparker, @jowyang e @algore. Realmente a versão ao vivo da internet. Uau!

    Costumo acreditar que criatividade, antes de tudo, é uma combinação de repertório com conexões. E essas são duas coisas realmente abundantes no SxSWi. 


    No último dia, o principal assunto entre os brasileiros era o desejo de voltar ano que vem. A maior parcela, como eu, eram marinheiros de primeira viagem e acreditavam que agora sim estava preparados para fruir ao máximo o conteúdo do evento. Ah, essa ilusão de controle que a gente tem...

    E então, topa encarar em 2013?
2
Share

Share

Facebook
Google+